terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Levados à sério demais....

Hoje vou emitir uma breve opinião sobre dois caras levados à sério demais...
O primeiro já foi super discutido, super falado e o papo chegou a encher o saco: Rafinha Bastos...
Eu acompanho o Rafinha há ANOS... desde a época de internet a carvão que ele tinha a “Página do Rafinha”... interpretava músicas que estavam em alta, músicas velhas, conversava com um cocô cantando “não se vá”, entre outras coisas. Fui num stand up dele aqui em BH, paguei caro e achei que valeu cada centavo porque eu ri compulsivamente... tentei gravar uns trechos pra mostrar pro meu namorado e ficou impossível ouvir, pois na gravação só se ouvia as gargalhadas histéricas dessa que vos fala... Na bancada do CQC era o mais ácido... Proteste Já (quadro do CQC pra quem não sabe) era melhor com ele, que deixava políticos e responsáveis por determinadas situações numa enorme saia justa. Quando era pra ser sério, no programa A LIGA, por exemplo, era e fazia isso muito bem também... Mas o perfil do Rafinha é de chacota, é de falar o que pensa sem pensar no amanhã. MAAAAAAAAAS... o cara é humorista... e se ele chegou a ter o reconhecimento, não foi por piadas sem graça e sem a sua típica acidez... Foi levado à sério demais! Pra mim, quem fez o papelão maior, foi a Wanessa e seu marido... porque colocar o feto como proponente da ação (me corrijam advogados se eu estiver incorreta quanto aos termos) foi definitivamente demais... Quando você não gosta de uma piada que fazem com vc não há remédio melhor e mais eficaz no mundo do que ignorar... a pessoa sai no salto e quem fez a piadinha perde a graça da piada... É isso e ponto. Essa foi a opinião de 98% das pessoas, acredito eu...

O outro levado à sério demais nesse país é o Michel Teló. Os pseudo-intelectuais estão REVOLTADOS que o cara tá fazendo sucesso na Europa e afins. Dizem que a música dele é ruim, não tem letra e blá blá blá... Sério, gente?! Vocês acreditam mesmo que um hit dançante precisa ter letra???? Música eletrônica a gente ignora então na discussão, né?
Deixem o menino fazer sucesso! Ao que ele se propõe... ele É BOM SIM! Eu não gosto do estilo de música dele, gosto de rock 'n roll, gosto de metal e longe de ir num show ou comprar um CD... Mas eu acho que a música dele faz com que a gente se mexa, tenha vontade de levantar e dançar, se divirta... Se esse efeito não acontece com vc, saiba que acontece com muitos. O hit nem agressivo é, um país que já teve hits como “rala o pinto”, “boquinha da garrafa” e “bunda lelê”... acho que “ai se eu te pego” não agride ninguém, né? Eu, numa festa, prefiro mil vezes dançar o Michel Teló do que tentar dançar Sunday Bloody Sunday do U2 que amo de paixão... As intenções são diferentes! Tá dando pra entender?
Deixem o Telo em paz, gente... pq se até os europeus, tipicamente mais sisudos que nós estão se rendendo... é porque a intenção da música, que acredito eu que seja a alegria e DESPRETENSÃO, está sendo alcançada...

E essa é minha opinião... pessoas levadas à sério demais, mas que cumprem muito bem o papel que se propuseram a cumprir e que tem o seu sucesso por conta disso.

Fonte das imagens: Google messs...

Um comentário:

Lulu on the Sky® disse...

Mandou super bem no post Lu. O Rafinha Bastos quando ele quer, ele sabe levar a sério as coisas. Basta ver os quadros do proteste já que ele cobrava mesmo das autoridades. Em um momento infeliz, falou errado e na hora errada.
Quanto ao Teló, a letra é ruim, mas a música contagia, por isso que as pessoas gostam e faz sucesso. Quer outro exemplo? Festa no apê do Latino. Tb explodiu na mesma proporção, só q no caso dele foi uma versão.

Big Beijos

PS: Mudou o avatar, ficou ótimo. :)

 
eXTReMe Tracker