segunda-feira, 24 de março de 2008

Outros tempos...

Não reclamo de envelhecer, nem de trabalhar muito, nem da minha vida hoje. Reclamo do que tem que reclamar... que é a falta de tempo, a falta de dinheiro para fazer tudo que eu gostaria, do chefe e das mazelas do mundo de forma geral. Considero isso normal.
Tô falando disso porque me deu uma sensação saudosista sobre o passado em relação à despretensão. De não preocupar com o dia de amanhã, de dormir no meio da tarde, de não ter que pagar contas e raras vezes preocupar com a situação do mundo.
Talvez, enquanto adolescentes, não nos preocupamos muito, ou quase nada, com o que não diz respeito de forma direta à nossa vida e sim somente com o que está apenas em volta do nosso umbigo.
Parece egoísta, mas não é... é uma fase! Temos muito mais motivos p'ra brigar com o pai p'ra ir "naquela festa" do que saber se os EUA entrará em crise ou não, mesmo que isso um dia venha afetar na grana que precisaríamos para a festa... porque, geograficamente pensando, os EUA estão bem longe de nós... enfim!
Hoje em dia sofro com a dor dos outros, temo pela continuidade do mundo, temo pela falta segurança, temo pelo caráter e atitudes impensadas das pessoas.
E tem gente, muita gente, que ainda consegue viver o hoje (adulto) como um adolescente...
Gostaria da receita só por um dia.
Dentro desse contexto tenho um exemplo engraçado que me "afeta" indiretamente...
Quando eu era adolescente, ou seja, entre os 14 e 21 anos (não que isso faça muito tempo, ok? hehehe)... eu aproveitei minha vida (adolescente) ao máximo! Fiz tudo que tive vontade de fazer, fui em mil festas, bebi "direitinho", ri e gandaiei muito, mas sempre fui comportada e tinha limite para as coisas...
Minha mãe dizia assim: "Tá aproveitando muito, não tá? Continue assim para aproveitar ainda mais...", e levei isso como receita de bolo a ser seguida... deu certinho.
Mas aí... umas pessoas da minha família, mais ou menos da minha idade, arregalavam os olhos pra mim e achavam um absurdo meus horários, viagens, bebedeiras, essas coisas...
E vejo que hoje essas pessoas vivem aquela vida adolescente que eu vivi lá atrás... mas sem os conselhos de mãe e de uma forma, digamos, mais inconsequente... Talvez pelo fato de se acharem "maduras" o suficiente para tomar quaisquer atitudes.
Eu sou muito satisfeita por viver minha vida em fases bem definidas... mas cada um tem seu tempo, não é verdade? Acho apenas que responsabilidade não faz mal, não engorda e não dá dor de barriga. É de graça e só faz bem.
Sejam responsáveis!

2 comentários:

Lulu on the Sky® disse...

A pior coisa é ver aquelas pessoas q não tiveram adolescência na época e se comportarem como adolescentes qdo adultos não é mesmo?
Big Beijos

Julis disse...

concordo com vc, saudades da época em que a minha unica preocupação era a lição de casa da escola resrsrs

 
eXTReMe Tracker