terça-feira, 30 de junho de 2009

Para registrar...

Todo mundo já postou. Tô atrasada e com o blog abandonado, como sempre.
Mas li textos sobre o Michael que gostei muito e compartilhei os meus pensamentos com eles. Talvez com isso a inspiração para escrever não existiu. Se existiu, ela foi suprida em 140 caracteres do Twitter, enfim.
Mas não poderia deixar de registrar aqui, pelo menos um pouquinho, do meu pensamento a respeito de "MJ", o rei do POP.

Cresci ouvindo Michael Jackson, nasci no ano que estourou "Don't Stop 'Till You Get Enough". Thriller é um caso à parte em minha vida. Eu tinha uns 3 anos na época e minha irmã uns 11, por aí... Toda vez que passava Thriller ela me prendia na sala de TV e queria a qualquer custo me fazer assistir. Eu só chorava, gritava, esperneava, talvez, se fizer uma terapia hoje, muitos dos meus medos serão atrelados à estes momentos, possivelmente. Mas, segundo ela, a única coisa que ela queria era me mostrar que não tinha nada a ver e que eram apenas pessoas dançando fantasiadas. Ok, baby! Explica isso para uma criança da minha idade na época, se conseguir convencê-la, um de vocês é um gênio.
Então, parece que é um conhecido da gente que morre nessas horas... Eu realmente senti, fiquei triste e chateada.
Fiquei chocada a cada escândalo que noticiavam... alguns acredito, outros não, a maioria não sei. Sei que foi uma pessoa atípica, que teve sua infância roubada e uma vida pública desde que se entendeu por gente. Acho que realmente não dá pra ser normal assim... então não julgo tanto.
Há poucos meses atrás, numa febre de músicas que eu adoro (anos 80) baixei muuuuuuitas músicas dele, curti e dancei em uma festa boa parte delas. Baixei vídeos, inclusive o clipe gravado no Brasil... eu realmente o admirava ainda em vida. Porque a gente sabe, né? Muita gente passa a gostar depois que a pessoa morre... típico.
E quando soube dos shows de Londres, no fundo estava torcendo para que ele desse a volta por cima, superasse, lançasse novas músicas, novos clipes inovadores e que fosse o Michael que ele sempre foi, cheio de surpresas...
Mas não foi assim... talvez a velha máxima "descanse em paz" foi mais justa com ele. E com a gente, ficou a sua obra... é o que todo grande artista faz... deixa de herança pra gente uma obra imortal que passará de geração para geração. Porque se tem algo inquestionável em seus 50 anos de vida, foi sua obra...
Adeus, Michael!

__________
Os textos que li e adorei, seguem os links:
Michael não morreu - por Pedro Nieschling
Michael Jackson - por Rosana Hermann
Michael Jackson – por Rafael Cortez

Ode a Michael Jackson e etc - por Felipe Andreoli

Um comentário:

Lulu on the Sky® disse...

Lu,
Aproveito e desejo um feliz dia do amigo atrasado para vc aqui no seu blog.
Big Beijos

 
eXTReMe Tracker