quinta-feira, 10 de abril de 2008

A saga da cachorra – parte II

A coisa continua preta pro meu lado... Pretíssima!

Voltando onde parei...
Levei Melina ao veterinário na última sexta-feira, latia e rosnava para todos, por fim, eu mesma tive que amarrar a boca dela e foi possível consultá-la. Pelo menos comigo, nesse dia, ela estava tranquila.

O veterinário receitou um contralac (anti-lactante) e dipirona, pois a bichinha tem andado com febre por causa da lactação. O risco cirúrgico ficou marcado para sexta que vem e a cirurgia para castração para outra e olhe lá, pois do jeito que ela está, corre o risco de se contaminar por bactérias e blá blá blás, por causa dos hormônios... vai saber! A propósito, a caixinha de contralac custou R$70,00 com dezesseis comprimidos. Quem precisa de remédio para animais aqui no Brasil tá fu****, pois quase todos são importados.

Tenho até conseguido controlar a bichinha esses dias, desde que ela não domine alguma coisa ou ambiente, ou seja, portas sempre fechadas. Mas ontem, por um descuido, ela dominou meu quarto... Dominou geral! E eu não tenho coragem de encarar. Aí tive que chamar o corpo de bombeiros, leia-se Flavio, meu namorado. Pois é... só ele, que foi completamente contra eu criá-la, é que tem moral com a bichinha. (Vaca!)

Passado todo esse horror doméstico, resolvemos sair pra tomar um sorvete pra esfriar a cabeça e levá-la para uma voltinha, pois talvez ajudaria a acalmá-la e eu não perderia a credibilidade quando tento retirá-la do meu quarto chamando para passear... enfim...

Maldita boca quando pergunto ao Flavio se ele não achava a guia e coleira dela meio fraquinhas, pois ela puxa muito e é pesada, aí, enquanto ele falava que achava a coleira muito fraquinha, PAF, a bost* da coleira arrebenta e ela sai correndo desesperadamente e nós dois atrás... Fiz o MAIOR escândalo na rua... Ela enfiou na frente de 1 carro e 1 moto. Por sorte, como já era tarde, o movimento estava pequeno, senão já era... E o meu medo maior era que ela parasse na Via Expressa, pois fica só 2 quarteirões de onde estávamos... Mas, thanks God, ela conhece o caminho de casa e parou no portão, chegou até passar alguns metros, mas reconheceu e voltou, aí Flavio a segurou pelo que sobrou da coleira... Meus vizinhos já estavam todos na janela (hehehe)... Que mico!

Quando a adrenalina foi passando, ou algo do tipo, senti uma dor que eu achei que fosse morrer, minha coluna parecia estar estraçalhada por ter corrido de chinelo quase 3 quarteirões. Minha mãe e o Flavio acharam que foi exagero da minha parte, mas eu juro, vi a vó pela greta... Tomei um banho, tomei um remédio, entrei na internet para terminar de fazer um trabalho e desmaiei...
Não foi nada fácil ver minha branquinha correndo desesmbestadamente no meio da rua...
Affffff, tem que amar muito essa bichinha, fala verdade!

3 comentários:

Julis disse...

tadinhaaa mas ela vai ficar bem vc vai ver,a amanhã é niver do meu Ozzy rsrsrs

Lulu on the Sky® disse...

Putz morro de dó... Mas vai ficar bem.
Big Beijos

Lílian disse...

Lu,
vou te dar de presente o livro "Adestramento Inteligente" que te falei. Você precisa tomar atitudes drásticas com sua bichinha ou então vai só piorar... o fato de ela não te adenter e somente ao Flávio é muito preocupante. Você precisa parar de mimar essa menina e mostrar quem manda e isso é muito fácil e sem nenhum sofrimento pra ela. Mostre quem é a chefe dessa matilha, menina! hehe
Bjos

 
eXTReMe Tracker